História

intro1Antes mesmo de existir a mais antiga estrela no céu
e de os mundos povoarem o universo, dois seres
supremos já existiam; seres mais antigos que a
própria criação. Seus nomes são impronunciáveis
em nossa língua, por isso os chamamos de Yetzirah
e Tzfah.

Na primeira união desses dois seres, não só a
Terra foi criada, mas também os primeiros seres
humanos e toda a flora e fauna do planeta. E assim, a humanidade começou a povoar a Terra.

Yetzirah, que começou a amar seus filhos,
resolveu construir um local para sempre estar
perto deles esse local foi chamado de Hekalote,
a Morada dos Deuses, e desse lugar ela cuidava
da humanidade. Com o passar dos tempos, começaram
a formar-se tribos que se fundiram e evoluiram,
organizando-se em um reino central, onde tudo era
estudado e praticado: politica, ciência, arte,
economia, pois tudo fazia parte do processo de
evolução…

E Tzfah passou a odiar a humanidade, pois eles
haviam conquistado algo que nunca tinha sido dele,
o amor de Yetzirah.

Depois da criação dos humanos, Yetzirah e Tzfah
se uniram mais 5 vezes, e de cada união foi criado
um deus: Kafma, Armia, Daleth, Samech e Haden.

Quando os deuses nasceram, Tzfah percebeu o
terrível erro que cometera; pois, assim que seus
filhos crescessem eles se uniriam e o matariam
em nome de sua mãe e por amor aos humanos.

Tão logo os deuses despertaram, Tzfah, que não
podia matá-los, os trancou num campo de êxtase,
de onde eles nunca sairiam.

Agora o ódio de Tzfah era ainda maior, uma vez
que a semente do ciúme e da ira tinham germinado
no âmago de seu ser, e sua f úria se voltou contra
os humanos. Terremotos, vulcões e outros desastres
assolavam a Terra e hordas de monstros que atacavam
vilas e cidades, matando tudo que encontravam. E,
apesar de tudo que Yetzirah tinha ensinado para os
humanos, eles nada podiam fazer.

Os deuses, que compartilhavam o amor de sua mãe
pelos humanos, se compadeceram da desgraça que se
abatia sobre a humanidade e, mesmo presos,
começaram a moldar a energia de alguns humanos,
fazendo com que chegassem ao ápice do poder que
seus corpos poderiam aguentar enquanto Yetzirah
elaborava um plano para libertar seus filhos e
salvar a humanidade.

Enquanto os deuses secretamente fortificavam
os humanos, Yetzirah enfraquecia cada vez mais
a prisão dos filhos, ambos sabendo que teriam
que unir forças para acabar com a tirania de Tzfah,
que, consumido pela chama do ódio e da inveja,
tinha escravizado quase toda a população humana.

No instante em que os deuses finalmente conseguiram
se libertar, a batalha começou. Liderados por Armia
e Kafma e tendo a ajuda de Yetzirah, os deuses
investiram com uma fúria jamais vista para
finalmente livrar o mundo do maligno Tzfah.

O impacto da batalha pôde ser sentido tanto
por humanos quanto pelos monstros, mas apenas
os escolhidos sabiam que a hora tinha chegado
e que eles precisavam ajudar os deuses.
Para que os humanos pudessem chegar até Hekalote,
Daleth criou a ponte Sephira, que ligava o mundo
mortal ao reino divino; assim, aqueles que tinham
sido tocados pela essência divina conseguiriam
chegar a Morada dos Deuses para batalhar pelo
destino de toda a humanidade. Esses humanos
receberam o nome de Arch.

Tzfah, porém, também criara seu próprio exército,
um exército tocado pela mácula do ódio e,
se aproveitando da situação, ordenou que suas
tropas destruissem todo e qualquer ser humano,
pois agora os deuses e Yetzirah estavam ocupados
demais para se preocupar com qualquer coisa além
da batalha.

Rios de sangue corriam, irrigando a terra e
gerando ainda mais monstros e sofrimento para
o povo humano, que sem seus defensores parecia
não ter escapatoria, finalmente os humanos
seriam exterminados.

A única maneira encontrada pelos deuses para
acabar com essa loucura era banindo Tzfah do
reino divino e o aprisionando no centro da
Terra, de onde ele nunca poderia escapar,
e foi isso que os deuses fizeram.

Quando Tzfah foi arremessado a Terra, numa
atitude desesperada ele quebrou a ponte
Sephira, impedindo os deuses de completar
o encantamento. Isso o deixou num estado
de semiconsciência, mas ainda livre para
influenciar sua legião malígna para dominar
a Terra.

Por causa da guerra Celestial, os humanos
comecam ficar sabendo do sistema do mundo
e os segredos do ceu. Isso fez com que os
humanos em vez de louvar os deuses, comecam
a analisar-los, ou seja, eles tornaram-se
combaias de estudos como qualquer outro elemento
da natureza. Depois de muita analise e estudos,
os humanos finalmente conseguiram compreender a
fonte de poder dos estilhacos da ponte Sephira,
e com as descobertas certas, poderiam ser criados
encantamentos que ajudariam os humanos nessa
guerra.

Mas a ganancia e sede de poder sempre falam
mais alto…

Um dos magos que estavam estudando os poderes
magicos da Sephira foi tomado por uma arrogancia
sem precedentes, se considerando mais poderoso que
os proprios deuses, agora que ja entendia como
funcionavam seus poderes, seu nome era Nershess,
da cidade de Koren.

Tzfah percebeu a macula na alma de Nesse e o
convocou para lutar ao seu lado nessa guerra,
juntos eles invadiram Armia, o centro sagrado
do continente.

O exército de Tzfah e solto em terras humanas,
infestando diversas cidades no mundo, levando
o desespero para todos e as cidades que nao sofreram
invasão dos monstros sofrem perante a magia maligna
de Nershess.

Mas ele nao contava que o poder que se desprendeu
da ponte, por sua vez, influenciasse diretamente
nos humanos, criando mortais capazes de se
defenderem dos monstros de Tzfah, e fosse
encarado como um ultimo presente dos deuses
para seus queridos humanos, pois agora eles
nao mais poderiam tomar conta da Terra, uma
vez que sua ligação foi encerrada com a quebra
da ponte Sephira, podendo interferir apenas
cedendo um pouco de poder para aqueles que realmente
acreditam

400 anos depois e o mundo não se
recuperou totalmente da guerra celestial,
os humanos estão novamente se organizando
em grandes cidades, voltando a estudar magia,
se reorganizando em grandes reinos e rezando
para a volta dos deuses.
Embora o poder dos Arch, hoje em dia,
seja apenas uma lenda, muitos guerreiros
saem em busca desse poder adormecido no
coração e na alma da humanidade.

Não se sabe ao certo quando ou se
os deuses voltarão, até lá os humanos
tem de lutar com toda a vontade para
livrar o Terra do mal que Tzfah fez e ainda faz.

“Isso é tudo o que eu tenho para lhe
contar, se você acha que tem o necessário
para seguir seu destino, vá em frente, mas
não pense que será uma jornada facil, muito
desistem no meio do caminho, outros não tem
tanta sorte e acabam morrendo em combate contra
um monstro qualquer, mas acredite no seu destino
, e se ele for bom com você, quem sabe não será
você o responsável por tornar a história dos Arch
real novamente?”
banner14

Fonte http://www.wyd.com.br

5 Comentários

  1. texticulo heim ^^

  2. Foda

  3. meio confussa “S

  4. meio confusa mesmo

  5. não tem sentido, sem pé nem cabeça.


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s